Rediscutindo a mestiçagem no Brasil: Identidade nacional versus identidade negra

16,96

Disponível por encomenda

REF: 9788551306017 Categorias: , , , Etiquetas: ,

Descrição

É à luz do discurso pluralista emergente (multiculturalismo, pluriculturalismo) que a presente obra recoloca em discussão os verdadeiros fundamentos da identidade nacional brasileira, convidando pesquisadores da questão para rediscuti-la e melhor entender por que as chamadas minorias, que na realidade constituem maiorias silenciadas, não são capazes de construir identidades políticas verdadeiramente mobilizadoras. E essa discussão não pode ser sustentada sem que se coloque no bojo da questão o ideal do branqueamento, materializado pela mestiçagem e seus fantasmas. _______________________ Esta quinta edição do livro Rediscutindo a mestiçagem no Brasil apresenta um novo capítulo e novas considerações nas conclusões. O professor Kabengele Munanga relê seu livro e neste insere novas análises, considerando o período de vinte anos que separa esta publicação da sua primeira edição, em 1999. Esta atualização é realizada em um momento de mudanças expressivas na sociedade brasileira e no contexto das relações étnico-raciais, das políticas de ações afirmativas e da implementação das cotas, e traz as considerações do autor sobre as fraudes e as discussões sobre o colorismo. O autor interpreta essas mudanças à luz da questão da mestiçagem, considerando as suas representações e os usos político-ideológicos no Brasil do século XXI, e se posiciona de maneira pessoal, firme e contundente, como é marca da sua personalidade, do seu fazer político e do seu modo de produzir conhecimento. Nilma Lino Gomes

Informação adicional

de

Kabengele Munanga

Editora

Autêntica

Edição

Julho de 2019

Encadernação

Capa Mole

Páginas

152

Avaliações

Ainda não existem avaliações.

Seja o primeiro a avaliar “Rediscutindo a mestiçagem no Brasil: Identidade nacional versus identidade negra”

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.