Perto da Margem | Close to the Edge

27,00

REF: 9789898833778 Categorias: , Etiquetas: ,

Descrição

O que fica do que se vê? […] Como entender e fazer entender o enigma que sabemos escondido nas coisas?

Este livro foi publicado por ocasião da exposição Perto da Margem, de Pedro Calapez, com curadoria de João Pinharanda, realizada na Fundação Arpad Szenes – Vieira da Silva (de 7 de Outubro de 2021 a 16 de Janeiro de 2022) em parceria com a Fundação Carmona e Costa.

«Depois da margem fica o abismo para onde corremos ou onde corre já a água que nos afogará depois da queda. Os sucessivos capítulos de que esta exposição se compõe deixam-nos à beira de vários perigos e abrem-nos o caminho para o precipício dos sentidos, se o quisermos tomar: entre o corpo e a queda, entre o olhar e a cegueira. Pedro Calapez encontra o título da sua exposição, «Perto da Margem», nas palavras de uma canção dos Yes, Close to the Edge, que cita nas suas notas de trabalho: Down at the end, round by the corner /Close to the edge, just by a river / Seasons will pass you by / I get up, I get down / Now that it’s all over and done, / Now that you find, now that you’re whole.
Não há excesso literário nem dramatização estética na associação suicidária que aqui enunciamos. A delicadeza e a elegância, a monumentalidade e o luxo são, na obra de Calapez, o cenário da mal disfarçada e radical angústia revelada nas múltiplas direcções do seu intenso trabalho: como se vê? o que fica do que se vê? ou seja, o que fica do que se vive? porque estamos rodeados de ruínas? até onde devemos arriscar-nos seguir? o que podemos dizer aos outros de nós mesmos? como entender e fazer entender o enigma que sabemos escondido nas coisas?»
João Pinharanda

Informação adicional

de

Pedro Calapez

Editora

Documenta

Edição

Fevereiro de 2022

Encadernação

Capa Mole

Páginas

160

Avaliações

Ainda não existem avaliações.

Seja o primeiro a avaliar “Perto da Margem | Close to the Edge”

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.