As “Contas Longas” de vidro como elemento de identidade dos africanos no passado histórico e cultural de Lisboa – De meados do século XV ao Terramoto de 1755

12,00

Descrição

Apresenta o resultado do estudo efetuado em laboratório tendo por base um conjunto de contas “longas de vidro”, provenientes de intervenções arqueológicas havidas nos vestígios de núcleos urbanos destruídos aquando do terramoto de 1755, em Lisboa.
Estas intervenções arqueológicas efectuadas por equipas de Arqueólogos do grupo de museus da Câmara Municipal de Lisboa documentam e revelam o interesse que o subsolo da Lisboa antiga, dita “Pré-Pombalina”, tem vindo a despertar para salvaguarda e valorização da informação histórica que a cidade de Lisboa encerra.
A presença deste tipo de exemplares revela que os africanos trazidos como escravos, nomeadamente da costa Ocidental da África, desde meados do século XV até ao Alvará Régio de Setembro de 1761, as usariam como elemento identitário.

Com este estudo procura-se, entre outros aspectos, enquadrar este conjunto de contas nas vivências sociais e culturais de Lisboa, de meados do século XV até ao terramoto de 1755, tendo em atenção os locais de recolha, a par dos dados arqueohistóricos que foi possível definir, adaptando a cronologia dos acontecimentos que possibilitaram também estabelecer algumas das prováveis causas da sua presença na Lisboa renascentista até meados do século XVIII.

Informação adicional

de

Maria da Conceição Rodrigues

Editora

Universidade do Porto Press,

Edição

Março de 2014

Encadernação

Capa Mole

Páginas

97

Avaliações

Ainda não existem avaliações.

Seja o primeiro a avaliar “As “Contas Longas” de vidro como elemento de identidade dos africanos no passado histórico e cultural de Lisboa – De meados do século XV ao Terramoto de 1755”

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.