Poemas em Tempo de Peste

11,00

REF: 9789897025808 Categorias: , , Etiquetas: ,

Descrição

Merda para esta vida de paz, / diria, se fosse escritor naturalista: / porque, já agora, tanto me faz / comer um bife ou simplesmente alpista.

Com esta desembaraçada franqueza, o poeta Eugénio Lisboa enfrenta, desabafa, ri-se e faz-nos rir deste perigoso mundo em que um vírus nos pôs a viver.
Poemas em Tempo de Peste não é só um livro de poemas, é uma aventura em que se fundem literatura e vida. Ah, mas fundem-se com um grande sentido lúdico e um melancólico langor, que tanto toca em Camões, Eliot ou Almada, como no sabor a paraíso de uma África que já foi, porque «o passado sempre conta / quando o vírus já desponta!»
À mesa destes Poemas em Tempo de Peste, são chamados a sentar-se os grandes do mundo. De um Trump «fodido», diz Eugénio Lisboa, «Que chatice se ele ficasse / no governo e nos lixasse», para logo se espantar com a nossa presidente do Banco Central Europeu:
A Senhora Christine Lagarde / acha que os velhos vivem demais; / pra que a economia se resguarde / há que apressar os ritos finais.

A política nacional merece outros mimos a Eugénio Lisboa. Como este mimo escatológico a um partido exuberante:
Fala o CHEGA como bufa, / não conhece outro falar: / quando tenta uma chufa, / fá-lo como a evacuar!

Os Poemas em Tempo de Peste de Eugénio Lisboa tanto cantam o admirável Pinto da Costa em decassílabos (não murchos) «com umas rimas do caraças», como lançam farpas a alguns escritores de que não dizemos os nomes: cuidado com os rapazes!

Informação adicional

de

Eugénio Lisboa

Editora

Editora Guerra & Paz

Edição

Setembro de 2020

Encadernação

Capa Mole

Páginas

88

Avaliações

Ainda não existem avaliações.

Seja o primeiro a avaliar “Poemas em Tempo de Peste”

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.